Mercado de jóias no Brasil

Em uma época de incertezas como a que o país vem atravessando nos últimos anos, é natural ter mais cautela ou até mesmo pensar em paralisar os planos de expansão de um negócio. No entanto, se você atua no mercado de jóias no Brasil, pode se animar, pois as perspectivas são positivas!

Ao contrário de outros setores, a joalheria é um segmento que não sente os efeitos da crise econômica, o que o torna um dos mais promissores neste momento. Entre as vantagens da área, estão:

  • variedade de portfólio;
  • percepção da qualidade dos produtos por parte dos consumidores;
  • qualidade da matéria-prima disponível;
  • variedade dos canais de venda;
  • demanda interna aquecida.

Expectativas otimistas 

Apesar da crise financeira presente no Brasil, os produtores de jóias e semijoias não registraram, de maneira geral, quedas em suas produções. Os números disponíveis no relatório do McKinsey Global Institute demonstram que a expectativa de crescimento do mercado é de até 6% ao ano.

Na prática, as vendas do setor devem chegar à casa dos US$ 250 bilhões anuais até 2020. O diretor do Instituto Brasileiro de Gemas e Materiais Preciosos (IBGM), Écio Moraes, considera que a queda da inflação e a consequente recuperação do poder de compra dos consumidores vêm impactando positivamente o setor.

Outro ponto de destaque refere-se ao tamanho da cadeia produtiva brasileira. Uma pesquisa conduzida pelo IBGM, com 261 indústrias ligadas  ao mercado de jóias, apurou que o país está no ranking dos 15 maiores produtores de peças em ouro, com um total de 22 toneladas de jóias criadas e comercializadas.

Produto nacional competitivo no exterior

O setor de joalheria do Brasil tem destaque Mundial. Como reflexo, há o aumento da exportação de produtos nacionais para outros países, como Estados Unidos, Alemanha e Canadá.

Esse potencial é crescente. A melhoria nos processos de produção e a qualidade dos produtos brasileiros vêm permitindo ao Brasil concorrer em condições de igualdade com nações de muita tradição no setor de jóias, como Itália, Tailândia e Índia.

A criatividade de nossos designers e fabricantes, aliada à beleza das pedras brasileiras e à variedade de materiais e estilos, fez com que as peças produzidas por aqui caíssem no gosto dos estrangeiros.

A riqueza cultural brasileira ganhou expressividade em jóias únicas, elaboradas a partir de um mix de tecidos, pedras, palhas e materiais orgânicos.

Gemas brasileiras

Além de ser destaque na produção de jóias em ouro, é do Brasil 1/3 da produção de gemas do mundo inteiro. Por aqui, a produção de ametista, citrino, água-marinha, turmalina, topázio e quartzo acontece em larga escala.

Toda essa riqueza concentra-se nos estados de Tocantins, Minas Gerais, Bahia, Goiás, Pará, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Neles, há aproximadamente 4 mil empresas do ramo, sendo que cerca de 99% desse número é formado por pequenos negócios.

O faturamento anual do setor de gemas já alcançou US$ 6,5 bilhões e tem muitas possibilidades de expansão. Uma delas é a tendência de peças com pedras naturais e a menor lapidação possível.

Investimento em gestão, tecnologia e competitividade

Com o mercado aquecido, o setor tem investido em gestão e tecnologia. Essa estratégia é fundamental para aprimorar toda a cadeia produtiva e atender ao mercado exterior com excelência. São recursos como os listados abaixo que trazem mais qualidade aos processos e ao produto final:

  • máquinas importadas;
  • insumos;
  • equipamentos;
  • ferramentas;
  • softwares de gestão;
  • gestão contábil;

O aperfeiçoamento das técnicas de produção e a atenção às tendências também são diferenciais, especialmente para os designers. Modelagem de joias 3D, mistura de materiais e acompanhamento dos destaques de novelas ou Fashion Weeks ao redor do mundo permitem a confecção de peças diferenciadas, especialmente quanto ao design e ao estilo.

Causas do crescimento

O desenvolvimento do mercado de jóias também está ligado a criatividade dos joalheiros. Não só na hora de fazer o designer das peças, mas também na utilização de pedras de diferentes tipos, bem como materiais variados, o que traz mais variedade de produtos oferecidos.

Essa diversidade maior disponível, faz com que o consumidor consiga encontrar aquela peça que mais se encaixa nas suas necessidades, aumentando as chances de compra.

Inclusão do ouro 10 quilates

As jóias são um objeto de desejo para muitas pessoas. No entanto, elas nem sempre são acessíveis, e para mudar essa realidade, impulsionando o mercado, foi inserido na criação de jóias o ouro maciço 10 quilates.

O novo material possui um custo-benefício melhor se comparado ao metal com 18 quilates.

Além do preço mais baixo, ele se assemelha à qualidade e características como o ouro 18 quilates. O metal precioso é procurado pela sua resistência à oxidação, além de ser hipoalergênico. Consequentemente, com essa novidade do mercado, mais pessoas têm acesso e compram jóias, aquecendo as vendas do mercado e permitindo mais investimentos em inovação e descoberta de materiais que compõem as peças.

Mercado consumidor fiel

Embora em momentos de recessão econômica no Brasil,  o poder de compra da população naturalmente diminua, o público consumidor de jóias é formado majoritariamente por mulheres das classes A e B. Ainda assim, os homens possuem participação considerável no setor.

Nessa parcela da população, a diminuição do poder de compra é menos acentuada se comparada a outras classes.

O público feminino, por sua vez, é extremamente fiel. O consumo de itens associados à beleza, à vaidade, ao luxo e ao requinte é um hábito cultural, ou seja, mesmo que a economia não esteja em seu melhor momento, as vendas do mercado de jóias tendem a se manterem em alta.

Vantagens e desvantagens do crescimento do mercado de jóias no Brasil

O crescimento do mercado de jóias no Brasil tem um impacto positivo, mas isso não faz com que ele deixe de apresentar alguns problemas, como:

  • Aumento de fornecedores, mas devido à necessidade de agilidade e também à concorrência, muitos praticam preços mais baixos em troca de uma diminuição na qualidade;
  • Controles de estoque;
  • má gestão contábil.

Mesmo em meio às desvantagens ainda é possível destacar as vantagens de apostar nesse mercado para o empreendedor:

  • novas tecnologias estão surgindo a todo o momento para auxiliar na produção das peças, otimizando a inserção de novidades;
  • os valores tornaram acessível as peças a mais pessoas, o que democratiza as jóias;
  • Escritórios de contabilidade especializados no Ramo Joalheiro;
  • Controles de estoque.

Apresentamos as principais e mais recentes características do mercado de jóias no Brasil. Como você pôde perceber, investir no segmento é uma excelente idéia, desde que em condições adequadas.

 

Fonte: Mercado de Jóias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *